Divulgação

DOIS-TOQUES COM FASOLIN

Fantasma dos rebaixamentos assombrando

Athletico

Segue a arrancada rubro-negra no Brasileirão. Após a vitória fora de casa contra o Red Bull Bragantino, o Furacão não deu chances para um desesperado Vasco da Gama, e venceu a equipe carioca, com autoridade pelo placar de 3×0, para consolidar a busca pela parte de cima da tabela e de quebra livrar seis pontos para a ZR que é aberta pela própria equipe cruz-maltina. A vitória do Athletico começou a ser construída com um gol marcado por Nikão logo aos dez minutos de partida. Aos poucos a partida começou a ficar equilibrada, e o Vasco chegou a empatar com Cano, mas o gol foi anulado após a marcação de impedimento. Logo depois, aproveitando falha do setor defensivo carioca, Leo Citaddini chutou forte, Fernando Miguel defendeu e Carlos Eduardo aproveitou o rebote para ampliar o placar. Na volta do segundo tempo, mais um gol anulado do Vasco, quando o VAR viu novo impedimento de Cano. Após, o Athletico chegou mais algumas vezes com chances de ampliar e Fernando Miguel foi bem evitando os gols, até que aos 15 minutos do segundo tempo, Carlos Eduardo novamente marcou, desta vez da intermediária para definir o placar a favor do Furacão. Agora o rubro-negro volta à campo no Rio de Janeiro, contra o Botafogo no dia 06/01 (quarta-feira).

Foto: Divulgação/CAP / Estadão

Fonte da Foto: https://www.terra.com.br/esportes/futebol/athletico-pr-faz-3-a-0-e-vasco-continua-na-zona-de-rebaixamento,616bdb1bb265b5422cb398a446cb0958zi84f8ns.html

Coritiba

A série B parece uma realidade cada vez mais atual para o alviverde. Neste sábado, o revés aconteceu contra o vice-líder Atlético-MG em Belo Horizonte pelo placar de 2×0, resultado que levou o Verdão a assumir a lanterna da competição e ver cada vez mais distante a chance de permanência na Série A, e deixando o Coritiba sete pontos atrás da 16ª colocação, seu principal objetivo no momento. O primeiro tempo até que trouxe alguma esperança para o torcedor coxa-branca, pois terminou com o placar zerado, e teve algumas boas chances de gol para o time do Alto da Glória. Porém, na segunda etapa o fator casa e a pressão do galo surtiu efeito, com Hyoran marcando um belo gol aos 20 minutos. Dez minutos depois Everson fez grande defesa em chute de Robson e evitou o empate do Coritiba. Aos 37, a pá de cal, com Sasha recebendo assistência de Arana para sacramentar a vitoria dos mineiros. A próxima partida, com o mesmo lema das ultimas rodadas (vencer ou vencer) é contra o Goiás no Couto Pereira, dia 06/01.

Foto: Fernando Moreno/Estadão Conteúdo

Leia mais em: https://www.umdoisesportes.com.br/coritiba/atletico-mg-coritiba-ficha-tecnica-brasileirao-2020/

Copyright © 2020, Gazeta do Povo. Todos os direitos reservados.

Paraná Clube

O martírio tricolor continua e a Série C está cada dia mais próxima. Nesta semana, o Paraná entrou duas vezes em campo e saiu derrotada nas duas oportunidades. Segunda-feira passada (21/12), a equipe paranista recebeu o Brasil de Pelotas na Vila Capanema e perdeu o chamado jogo de seis pontos pelo placar de 1×0. Na partida muito pouca inspiração e velhos problemas do tricolor, uma falha no meio de campo de Johny Douglas definiu o placar para o time xavante, Luiz Henrique aproveitou e marcou o gol dos gaúchos.

Na noite de ontem, o rival era bem mais indigesto, a Chapecoense, fora de casa, que no final de semana perdeu a liderança para o América-MG, e buscava retomar a ponta da tabela. E o time catarinense justificou a bela campanha ao vencer o tricolor pelo placar de 2 a 0. Logo no inicio da partida, após uma falha do setor defensivo (uma sina da equipe no campeonato), a Chape abriu o placar com Paulinho Moccelin. O gol foi incorretamente anulado pela arbitragem. Porém, aos 16 do primeiro tempo, em nova falha da defesa, o time catarinense com Anderson Leite marcou o primeiro gol. Ainda antes do intervalo, a Chapecoense marcou mais uma vez e selou o placar já na primeira etapa. No segundo tempo, após as alterações de Gilmar Dal Pozzo, o tricolor até melhorou, mas não conseguiu diminuir. O tricolor volta a campo na desesperada tentativa de fugir da Zona de Rebaixamento, no dia 04/01 contra o Botafogo de Ribeirão Preto, na Vila Capanema.

foto: (TARLA WOLSKI/FUTURA PRESS/FUTURA PRESS/ESTADÃO CONTEÚDO)

Fonte: https://www.bandab.com.br/esporte/times/parana-clube/parana-clube-perde-para-a-chapecoense-e-passa-a-virada-do-ano-na-zr-da-serie-b/

Palpitômetro

Semana de 29/12 a 03/01

Copa do Brasil

30/12 – São Paulo X Grêmio – EMPATE

22/12 – América-MG X Palmeiras – PALMEIRAS

Série B – Paranaenses

03/01 – Vitória X Operário-PR – VITÓRIA

CLUBE DA SEMANA

Atlético Clube PARANAVAÍ

Escudos:

Uniforme:

Mascote:

Embora algumas fontes citem o Diabinho, o Mascote Oficial do Clube é o Cayuazinho (colaboração de Giovanni Soletti).

História

O Atlético Clube Paranavaí, também conhecido como ACP ou “Vermelhinho do Fim da Linha” é um clube da cidade de Paranavaí, localizada no Noroeste do Estado do Paraná. Fundado em 14 de março de 1946, com as cores Vermelha e Branca, a equipe manda suas partidas no Estádio Municipal Dr. Waldemiro Wagner (conhecido como Felipão, em homenagem ao Prefeito Rubens Felipe, em cuja gestão a obra foi inaugurada), e com capacidade para 25.000 torcedores. A inauguração do Estádio foi no amistoso da Seleção Brasileira que venceu a Costa Rica por 4×2 (em 1992), e o melhor publico até hoje foi na primeira partida da final do Campeonato Paranaense de 2007 (23.725 pagantes, na partida Paranavaí 1×0 Paraná Clube).

O ACP já disputou algumas competições de âmbito nacional e chegou em duas finais do Campeonato Paranaense.

No ano de 2003, após grande campanha, chegou invicto a final contra o Coritiba, mas perdeu justamente esta partida pelo placar de 2×0, no Couto Pereira, ficando, assim, com o vice-campeonato estadual. Neste campeonato contou com vários destaques vindo de times do interior do estado, em especial o meia Júlio e os atacantes Neizinho e Aléssio.

Porém, a maior gloria do “Vermelhinho do Fim da Linha” ocorreu quatro anos depois. Após vencer a primeira partida da final por 1×0 em casa, o ACP foi até Curitiba, enfrentar o Paraná Clube, na Vila Capanema. Apesar da pressão da torcida do time capital que lotou o estádio, o Paranavaí, com excelente atuação do goleiro Vanderlei (com passagens por Coritiba, Santos e Grêmio), segurou o placar de 0 a 0 e conquistou o título. O triunfo foi o primeiro de um time do interior após 30 anos (o Grêmio Maringá venceu o Coritiba em 1977).

Além do título de 2007, o ACP conquistou 02 títulos do Campeonato Paranaense do Interior (justamente nos dois anos que jogou a final estadual: 2003 e 2007), e mais 03 títulos da Segunda Divisão do Campeonato Paranaense (1967, 1983 e 1992).

Em âmbito nacional, o Paranavaí participou de cinco campeonatos: a Taça de Bronze, em 1981, a Série C do Brasileirão, em 1998 e 2007 (alcançando como melhor colocação o 10º lugar em 1981), e a Copa do Brasil em 2004 e em 2008 (quando ficou na segunda fase, em sua melhor participação).

Desde 2013, quando foi rebaixado no Campeonato Estadual, vem buscando retornar aos dias de glória, mas não vem dando sorte. No presente 2020, disputou a Terceira Divisão, mas caiu nas semifinais para o Iguaçu e terá que jogar a mesma competição em 2021

.

Paranavaí Campeão Paranaense de 2007
Foto: Arquivo da Tribuna do Paraná.

Fonte: https://www.tribunapr.com.br/esportes/acp-e-o-unico-time-do-interior-campeao-na-1-divisao/

Festa dos jogadores com a taça em 2007
Foto: Arquivo do GloboEsporte.com

Fonte: https://globoesporte.globo.com/pr/futebol/campeonato-paranaense/noticia/ha-13-anos-paranavai-conquistava-o-titulo-paranaense-com-vanderlei-no-gol-relembre.ghtml

Fontes de consulta:

Wikipédia – pt.wikipedia.org

Revista Placar

Federação Paranaense de Futebol – www.federacaopr.com.br

Globoesporte.com (https://globoesporte.globo.com)

Tribuna do Paraná: www.tribunapr.com.br

Terra: https://www.terra.com.br

Banda B: Fonte: https://www.bandab.com.br

Um dois Esportes: https://www.umdoisesportes.com.br

Arquivo Pessoal do autor.

Colaboração: Giovanni Soletti.

Éverson Fasolin é advogado, pós-graduado em Direito e Processo do Trabalho e acadêmico do curso de Jornalismo. Também é colecionador de artigos, revistas e escudos de futebol