Eleições 2020: agroecologia é tema em alta

Nas eleições deste ano os brasileiros têm visto mais candidauras defendendo a agricultura familiar de base agroecológica. São homens e mulheres que visam ganhar nas urnas a chance de consolidar políticas públicas em seus municípios.

Mas vão além: aproveitam o mote das eleições para atrair atenção ao tema e fortalecer trabalhos que já fazem e continuarão fazendo, independentemente da participação no poder público.

Ações espalhadas por todo o país e que em alguns lugares têm apoio de candidatos à prefeitura. Em Curitiba, por exemplo, o candidato petista Paulo Opuszka é um dos que defendem essa bandeira. O advogado foi o primeiro a assinar carta-compromisso “Agroecologia nas Eleições”, elaborado por organizações, coletivos e movimentos sociais.

Segundo Opuszka essa é uma defesa que faz parte da trajetória do Partido dos Trabalhadores, assim como a sua própria. “Estivemos sempre lado a lado do MST, dos agricultores familiares, combatendo o uso de agrotóxicos, incentivando a agroecologia”, destaca. O candidato diz ainda que o partido sempre ensinou e trabalhou conceitos de aquisição direta de alimentos, com o Programa Nacional de Alimentação Escolar (PNAE), e questões de soberania e segurança alimentar.

 “Em um contexto como o que vivemos, nossos cidadãos não podem ter apenas o direito a comer bem, eles precisam conseguir exercer esse direito, especialmente aqueles mais empobrecidos”, ressalta.

Fonte: Brasil de Fato