Mães são contrárias à militarização das escolas estaduais no Paraná

Em 26 de outubro o governador Ratinho Jr anunciou a transformação de 200 colégios públicos estaduais em escolas militarizadas. Professores, alunos, pais e mães foram surpreendidos com a proposta, já que em nenhum momento anterior o tema foi debatido junto à comunidade. A Secretaria de Educação, após aprovação do projeto na Assembleia Legislativa, convocou mães, pais ou responsáveis para irem às escolas votar pela adesão ou não à militarização. O Brasil de Fato ouviu algumas famílias que se posicionaram contrárias ao projeto e disseram que não houve explicação da proposta e que as escolas não atendiam critérios definidos pelo governo, como vulnerabilidade e baixo rendimento. 

Juliana Santos, mãe da Ana Julia, aluna do 6º ano 

“Como mãe. votei não à militarização da escola. Primeiro, entendendo que a escola não possui os requisitos de vulnerabilidade e baixo rendimento no Ideb. Aqui no bairro, é uma referência, foi revitalizada graças à atuação da diretora com a comunidade, tem curso de línguas, prática de esportes, entre outros projetos. Eu acho que a militarização vem acabar com todos esses projetos, incluindo o Eja, que eu mesma cursei e o curso de Línguas. Além disso, essa votação foi em cima da hora e não foi explicada a proposta para os pais. 

Leia a matéria completa aqui.

Fonte: Brasil de Fato