Policiais militares denunciam condições de trabalho irregulares

A pandemia de Covid-19 parece não ter tido impacto junto ao comando da Polícia Militar do Paraná. Reportagem do Brasil de Fato local denuncia: cerca de 200 policiais atuam diariamente em operações pela cidade sem as devidas proteções sanitárias. “As máscaras e álcool em gel foram só na primeira semana de março. De lá para cá, é cada um por si”, diz policial ouvido pela reportagem.

O coordenador do policiamento em Curitiba é o coronel Hudson Teixeira, comandante do 1º Comando Regional de Polícia Militar (CRPM).

De acordo com o PM entrevistado, cujo efetivo é subordinado ao coronel, as operações acontecem principalmente nas regiões mais carentes da cidade e, em média, o policial revista cerca de 30 pessoas por dia. Além disso, o comando reúne  em um só local o efetivo de diversas partes da cidade.  “Embarca esses homens em viaturas e vai para uma parte da cidade, revistando pessoas, revirando carros, tocando em tudo”, explica. E a rotina se repete dia após dia.

E não para por aí. Além do risco de contágio, a tropa tem cumprido jornadas mais extensas que chegam a até 50 horas de trabalho semanais. “Nem as escalas de trabalho estão sendo divulgadas. Ficamos sabendo com poucas horas de antecedência”, reclama o policial. 

O movimento Policiais Antifascismo reivindica que a PM do Paraná investigue a atuação do coronel Teixeira. “Se a situação coloca em risco outros policiais, ele tem que ser afastado”, diz Martel Del Colle, policial militar aposentado e coordenador estadual do movimento. 

 Fonte: Brasil de Fato