Sentença de “estupro culposo” no caso Mari Ferrer revolta internautas

O termo “estupro culposo” cunhado para absolver um empresário acusado de estuprar a modelo Mari Ferrer revolta a internet e o meio político nacional.

O caso foi retratado em uma matéria do portal Intercept Brasil.

André de Camargo Aranha foi acusado de estuprar a jovem promoter catarinense Mariana Ferrer, de 23 anos, durante uma festa em 2018. Ele foi considerado inocente. Mariana alega que foi dopada e depois abusada.

Segundo o promotor responsável pelo caso, não havia como o empresário saber, durante o ato sexual, que a jovem não estava em condições de consentir a relação, não existindo portanto “intenção” de estuprar.

Por isso, o juiz aceitou a argumentação de que ele cometeu “estupro culposo”, um “crime” não previsto por lei. Como ninguém pode ser condenado por um crime que não existe, Aranha foi absolvido.

A hashtag #justicapormariferrer é a mais comentada do Twitter nesta terça-feira (3) e o assunto ESTUPRO CULPOSO vem logo em seguida. Outros desdobramentos do caso estão entre os principais assuntos do Facebook e também Instagram.

Fonte: Blog do Esmael