Veja o que Goura pretende fazer se for eleito prefeito de Curitiba

Goura é candidato a prefeito de Curitiba pelo PDT (Partido Democrático Trabalhista) nas Eleições 2020. Ao Paraná Portal, ele falou sobre o que pretende fazer caso seja eleito, abordou suas principais propostas e como pretende agir durante o pós-pandemia.

1. Por que o senhor acredita que deve assumir a Prefeitura de Curitiba?

Goura: Defendemos um projeto de cidade baseado na participação com envolvimento de todos os setores sociais que podem contribuir com a Prefeitura. Também estamos pensando uma Curitiba conectada com os 29 municípios da região metropolitana, pois não faz sentido pensar Curitiba sem essas conexões. Curitiba e região precisam de políticas integradas na habitação mobilidade abastecimento da geração de emprego e de renda.

Pensamos sim uma grande Curitiba que não pode pensar pequeno e, por fim, entendemos que Curitiba precisar caminhar rumo ao desenvolvimento sustentável para promover a redução das desigualdades sociais, que ainda são muito gritantes e também a preservação do meio ambiente na questão da biodiversidade, na recuperação dos rios. Creio que temos nesta campanha uma caminhada para uma gestão qualificada e sensível que a nossa cidade precisa.

2. Quais são os principais desafios que o senhor deverá enfrentar no caso de ser eleito?

Goura: Temos há décadas uma gestão envolvida com a falta de transparência com contratos milionários, como a OS que presta serviços na área de de tecnologia da informação, tudo com pouca transparência ao conjunto da sociedade. Também temos a falta de transparência na gestão do transporte coletivo. Precisamos de um transporte coletivo que sirva aos interesses da população, na função social do direito à cidade do que aos lucros de uns poucos empresários. Precisamos enfrentar com coragem transparência e rigor a questão do lixo.

Enfim, temos uma série de situações que há décadas Curitiba está comprometida e que teremos de enfrentar. Vamos ter essa caixa aberta da Prefeitura, a partir dos princípios que nós julgamos que sejam da administração pública, da Constituição, buscando a economia dos recursos públicos, com a transparência absoluta dos gastos. Acho que há bastante tempo convivemos com uma situação de pouca participação, de pouco estímulo à cidadania, de pouca valorização dos conselhos municipais, e nós pretendemos trazer de novo uma noção de democracia, participação e transparência, que são condições essenciais para uma boa gestão pública.

Leia a entrevista completa aqui.

Fonte: Paraná Portal